segunda-feira, 11 de abril de 2016

"Um homem torna-se uma pessoa graças ao intelecto" - Al-Farabi / "É preferível uma vida curta e larga do que uma vida longa e estreita" - Avicena

Bom dia pessoas ^^
Cheguei mais cedo hoje no blog e acredito que essa será a unica postagem da semana :'^

Antes de postar sobre esses dois filósofos da época medieval, vou falar o seguinte: Eu não sou religiosa, não sigo igreja alguma, mas eu também não sou atéia, gosto muito de filosofia e filosofia não faz ninguém ateu ou atéia, ok? E comentários indecentes a respeito desse assunto, será removido sim, pois se não gosta de filosofia, fique na sua.

Como sabemos, na filosofia uma coisa puxa a outra não tem como falar sobre os filósofos conhecidos e esquecer daqueles que também deixaram sua marca na filosofia.

 Um homem torna-se uma pessoa graças ao intelecto

Al-Farabi - pouco se sabe sobre sua vida, que, embora tenha escrito muito, abusou da modéstia ao fugir do registro da própria biografia. Al-Farabi foi um dos fundadores do movimento filosófico muçulmano na Idade Média, ele seria chamado por seus contemporâneos de o Segundo Professor - como herdeiro de Aristóteles, que seria o primeiro. 
 Al-Farabi marcou um novo passo na filosofia de seu tempo precisamente por ter recuperado as obras dos gregos clássicos, discutindo tanto os textos de Aristóteles quanto os de Platão, que haviam caído no esquecimento da Europa medieval. 

Fonte: Al-Madila Al-Fadila - A cidade Virtuosa, Revista - Super interessante.



É preferível uma vida curta e larga do que uma vida longe e estreita

Avicena - dedicado á lógica e á medicina, assessorou muitos príncipes persas, tanto para curar doenças quanto para dar conselhos. Embora se considerasse seguidor de Aristóteles, afastou-se dele a respeito da ideia aristotélica de que mente e corpo compõem uma coisa só. Avicena promoveu o pensamento dualista - a ideia recorrente de que a mente, ou alma, seria distinta do corpo. Ou seja, a alma permanece mesmo quando o corpo morre, algo que tentou explicar na parábola do "homem voador": se eu ficasse flutuando sem tocar nem ver coisa alguma, poderia não saber que tenho um corpo, mas ainda assim saberia que existo. Quase 600 anos depois, Descartes recuperaria a ideia de que nossa existência é garantida pela consciência - ou para o francês: "Penso, logo existo".

Fonte: 1027 O livro da Cura, Revista - Super interessante.



Deixo os pensamentos que surgiram é respeito de voces ...
:**

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você fosse minha - Bella Andre

Boa tarde leitores! Estou em suspiros por esse final de livro *-* Muito lindo e só para esclarecer, são oito livros contando o romance dos ...